CatequeseOutros temas

A História da Salvação

0
Compartilhe nossos posts em suas redes

Mais ou menos em 1800 AC, haviam diversas nações espalhadas pelo mundo, grupos de homens divididos entre povos, cada um acreditando num deus. E nessa confusão, Deus escolheu seu povo, aquele o qual deveria amar um único Deus: Javé. Esse povo escolhido era o povo de Israel, o qual Deus escolheu para com ele iniciar seu caminho. Esse povo encontrava-se espalhado pelo Oriente Médio.

Vendo a preocupação e o sofrimento de seu povo, que sempre clamava por ajuda, Deus escolhe um homem para liderar esse povo: Abraão, era um homem de muita fé que foi o primeiro patriarca. É o primeiro pai e fundador do Povo da Bíblia. Assim Deus promete ao povo a terra prometida se eles aceitarem Javé (aquele que é) como seu único Deus.

O povo de Deus teve origem numa aliança feita entre Deus e um homem . Este homem era Abraão e sua esposa Sara.  Aliança é um acordo, um compromisso de fidelidade, como as pessoas que se casam, fazem um compromisso e a aliança que usam no dedo é sinal deste acordo. Abraão era uma pessoa muito boa. Ele acreditava  em Deus, fazia sua vontade e por isso foi chamado ” Amigo de Deus”, Pai da fé.  Ele atendeu ao chamado de Deus e enfrentou todas as dificuldades, sem medo. Diz a Bíblia que um dia Abraão recebeu uma promessa de Deus: Ele seria o pai, o iniciador de um grande povo. Mas para isso teria que deixar o seu país. ” Deixa teu país e vai para a terra que te mostrarei. Farei de ti um grande povo. Eu te abençoarei e engrandecerei teu nome”.( Gn 12, 1-2). Abraão e Sara já eram idosos e não tinham filhos. Por isso ele não entendeu como ele poderia ser pai de um grande povo. Mesmo assim acreditou na palavra de Deus e partiu para a terra que lhe havia sido prometida. Abraão morava em Ur, cidade próxima de ao Golfo Pérsico e a terra prometida era Canaã; mais tarde chamada Palestina. Assim, ABRAÃO, com sua esposa SARAI, começa a caminhar com o povo para a terra prometida, conforme Deus havia lhe dito.  Deus, por diversas vezes testa a fé de Abraão, mas este se mostra fiel ao Deus que escolheu para ser seu guia. . Apesar de idosos Abraão e Sara tiveram um filho. Ficaram tão felizes que deram o nome de Isaac que significa “riso”, ‘alegria”. O caminho de Abraão não foi fácil, ele precisou ter muita fé, confiança, para seguir sua missão. Abraão chega com o povo até a terra prometida Canaã, Palestina (Israel). Lá, a descendência de Abraão vai crescendo e dando lugar a novos povos. Seu filho ISAAC continua sua missão, mantendo o povo junto. Isaac busca uma mulher para continuar a descendência do povo de Deus, e escolhe REBECA, e com ela ele tem dois filhos: ESAÚ e JACÓ (também chamado depois de Israel). Jacó, por sua vez, foi pai de 12 filhos. Assim começou o grande povo que Deus havia prometido a Abraão.  

RESUMINDO: Abraão casou-se com Sara . Abraão recebeu de Deus uma incrível promessa. Abraão e Sara saíram  da cidade  onde viviam e partiram para Canaã.                        Nasceu Isaac filho de Abraão e Sara. Isaac casou-se com Rebeca e tiveram  dois filhos: Esaú e Jacó. Jacó teve 12 filhos e um deles era José.

Assim começou a se formar o povo de Deus. José era o penúltimo filho de de Jacó, era o filho predileto, seus irmãos tinham inveja e um dia  quando estavam trabalhando, José foi procurá-lo a pedido do pai. Quando  o viram se aproximar decidiram que iriam acabar com ele, mas como  não tinham coragem de matá-lo o venderam  e voltando para casa disseram ao pai que o irmão havia sido morto por um animal feroz . No Egito José foi vendido para  Potifar, que era oficial da guarda do Rei. Com esforço e dedicação José se tornou administrador da casa  e dos demais escravos da casa do oficial. Porém, a mulher de  Potifar desejou seduzi-lo, mas como José a recusou ela passou a acusá-lo e fez com que ele fosse preso.  Na prisão, José interpretava os sonhos  dos outros prisioneiros, e então um dia o rei do Egito teve um sonho e ficou sabendo de José e o chamou para decifrá-lo. Após José dizer ao rei que seu sonho dizia que eles teriam 7 anos de fartura e depois 7 anos de  miséria no Egito, o rei o chamou para para ser   governador, para ajudar a estocar os alimentos para se prevenir dos 7 anos que viriam de miséria. Passou-se  os anos e chegou os 7 anos ruins, quando várias caravanas iam ao Egito para comprar seus alimentos, porque no resto das cidades não tinham. José era o encarregado de vender. Um dia , seus irmãos foram comprar seus alimentos e José logo os reconheceu, mas seus irmãos não. José os tratou friamente e os acusou de serem espiões, fazendo eles trazerem seu irmão mais novo que não tinha vindo para provar que não eram; mas tudo não passava de um plano  de José. Depois de trazerem Benjamim, ele os deixou ir, porém colocou o dinheiro em suas sacolas para acusá-los de roubo; então quando os guardas veem eles dizem que vão prender Benjamim. E é nessa hora que seus irmãos não deixam, porque ele era o segundo filho preferido de seu pai e se Benjamim não voltasse para casa, assim como José, seu pai não aguentaria, podendo até morrer, e então José vê que eles  se arrependeram e conta a verdade. Então pede que vão buscar seu pai Jacó e todos vão morar com ele

 

O povo hebreu crescia dia a dia. A ponto do faraó adotar o genocídio como controle de natalidade. Mas o povo continua oprimido e clamando por seu Deus. Deus novamente escuta esse clamor e resolve atender ao seu povo.

 

Naquela época, em mais ou menos 1300 AC, no Egito, uma mulher hebréia, teve um filho e não desejando que ele morresse pela mão do Faraó, o coloca num cesto e o deixa na margem do rio, para que alguém pudesse encontrá-lo e cuidar dele. Essa criança foi encontrado pela própria filha do Faraó, que o chama de MOISÉS – “tirado das águas”. Percebe-se como Deus é o Senhor da história e domina todas as circunstâncias, pois o próprio faraó que se tinha proposto aniquilar o povo de Deus, educa e prepara em sua própria casa o maior libertador de todos os tempos. Moisés tem uma difícil missão: Libertar o Povo de Deus da Escravidão. Moisés, então, lidera o povo de Deus pelo Egito, fugindo da escravidão, libertando o povo da opressão.

 

Eles caminham 40 anos pelo deserto, Moisés e o povo de Deus, em direção a terra prometida. O tempo todo, Deus acompanha seu povo. Mas o povo ora está satisfeito, ora está insatisfeito. Em diversos momentos, o povo diz preferir a vida de escravo no Egito que esse processo de libertação. No deserto, o povo teve fome, é Deus lhe dá o que comer – o Maná. O povo já demonstra sua fraqueza, suas inseguranças.

 

Por isso, os 40 anos no deserto, foram para o grupo se fortalecer na fé e na confiança. O povo chega até a Palestina (a terra prometida) liderado por JOSUÉ, onde encontra um povo também escravizado. Esse grupo mais organizado que chega a palestina, inicia uma longa luta contra o sistema dos Reis de Canaã. Por durante 200 anos, mais ou menos de 1200 a 1000 AC, o povo vive na Palestina sobre a Figura central de Deus. E mais ou menos em 1025 AC, com a morte de SAMUEL, o povo deseja um Rei. E com isso toda a estrutura anterior, do projeto de Deus, vai se perdendo.

 

Apesar de entender todas as coisas, o Povo é, muitas vezes, infiel a Aliança. Cai no pecado, na desobediência. Voltam os mesmos problemas. O povo volta a ficar perdido. Mas Deus sempre se preocupou com seu povo, sempre o acompanhou de perto. Surgem aqueles homens sábios e santos, chamados PROFETAS. Eles falam em nome de Deus e chamam a atenção do Povo quando está indo por um caminho errado. Mas os Profetas não somente ameaçam. Em tempo de grande sofrimento e perseguição, são eles que falam da esperança: “Deus virá novamente libertar se Povo. Deus não se esqueceu da sua Aliança. Ele vai concluir uma nova Aliança”. 

Anunciavam a nova Aliança, a vinda de Messias, do Salvador, aquele que libertaria o seu povo. Depois de Ter falado pelos Profetas, Deus quer falar ainda mais de perto. Quer revelar-se ainda melhor. Deus se fez homem para fazer a salvação. Veio ao mundo que criou com tanto amor para mostrar uma forma de buscar a justiça, de se relacionar com os irmãos.  Ele veio e passou para os Apóstolos a missão de continuar o novo Reino: um reino de justiça e amor. Trouxe o desafio de vivermos de forma diferente.  A história do Povo de Deus, o novo Israel, continua.

 

Resumidamente …

 

Em 1800 a.C., Abraão e Sara partiram da Mesopotâmia para a Terra Prometida, chamados por Deus. Abraão teve dois filhos: Isaac com Sara; e Ismael com a escrava Agar. De Isaac surgiu o povo judeu; de Agar os árabes.

Isaac se casou com Rebeca e deles nasceu Jacó, que se casou com Raquel; deles nasceram 12 filhos, que serão as Doze tribos de Israel: Rubem, Simão, Levi, Judá, Issacar, Zabulon, José, Benjamim, Dã, Neftali, Gad e Aser.

Em 1600 a.C., o povo judeu precisou ir para o Egito por causa da fome na Palestina; e ali ficaram 400 anos, e se multiplicaram.

Moisés (Êxodo), por volta do ano 1250 a.C., retira o povo do Egito e o leva para o deserto do Sinai. Ali Deus educa esse povo em suas leis. Faz uma Aliança com Moisés e lhe dá as tábuas da Lei: Os Dez Mandamentos.

Em 1200 a.C. – Josué penetra na Terra Prometida, atravessando o rio Jordão a pé enxuto, como tinham atravessado o mar Vermelho.

Houve um “Período dos Juízes”, 200 anos, até cerca do ano 1000 a.C. Entre eles: Débora, Baraque, Jefté e Sansão.

Samuel foi o ultimo juiz e profeta; sagrou o primeiro rei de Israel, Saul, por volta do ano 1000 a.C..

Davi foi o primeiro rei de todos os hebreus; reinou 40 anos em Israel; 7 anos em Hebron e 33 em Jerusalém. É a imagem do Messias, que unifica e salva o povo de Deus.

A ele Deus prometeu através do profeta Natan que um dos seus descendentes seria o “Rei eterno” (2Sm 7, 1-17).

 

Fontes:

https://cleofas.com.br/

www.catequisar.com.br/

http://encontrosdecatequese.blogspot.com/

Novena ao Santo Anjo da Guarda e os Nove Coros dos Anjos – início 23 de setembro

Previous article

Quem é Jesus?

Next article

You may also like

More in Catequese

Comments

Comments are closed.