CatecumenatoOutros temas

Santíssima Trindade

0
Compartilhe nossos posts em suas redes

 

A Santíssima Trindade é um Mistério de Fé. Cremos em um só Deus que se manifesta em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo.

Mateus 28, 19 “Portanto, vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome DO Pai, E DO Filho, E DO Espírito Santo.” Observar que há relação de igualdade quando se diz “E DO”.

Mistério (= secreto, escondido) de fé (= acreditar naquilo que não se vê)

Mistério inefável que “supera infinitamente tudo o que nós podemos compreender dentro do limite humano” (Paulo VI) (CIC 253)

Mt 3, 16 Depois de ser batizado, Jesus logo saiu da água. Então o céu se abriu, e Jesus viu o Espírito de Deus, descendo como pomba e pousando sobre ele. 17 E do céu veio uma voz, dizendo: Este é o meu Filho amado, que muito me agrada.

Lc 1, 35 O anjo respondeu: O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com sua sombra. Por isso, o Santo que vai nascer de você será chamado Filho de Deus.

2 Cor 13, 13 Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vocês.

Pai, Filho e Espírito Santo são 3 pessoas distintas, diferentes, cada qual com sua missão. Mas têm em comum a natureza que é a divindade.

Não se dividem, onde está um, estão os três.

Missão do Pai: CRIADOR – Quando o Pai cria, Ele faz por meio da Sua Palavra e do Seu Espírito (Gn 1, 26 Então Deus disse: «Façamos o homem à nossa imagem e semelhança).

Missão do Filho: SALVADOR – Quando Jesus vem ao mundo para nos salvar, tem a assistência direta e incondicional do Pai e do Espírito (durante toda a vida de Jesus, observamos que recorre ao Pai e ao Espírito Santo).

Missão do Espírito Santo: SANTIFICADOR – Quando o Espírito é derramado sobre a Igreja para guiá-la, Ele é enviado pelo Pai e pelo Filho (At 2).

A Santíssima Trindade é inseparável naquilo que são, e da mesma forma o são naquilo que fazem. Mas na única operação divina cada uma delas manifesta o que lhe é próprio na Trindade, sobretudo nas missões divinas da Encarnação do Filho e do dom do Espírito Santo.

Deus é uno (= um só), não pode haver mais de um Deus simplesmente pelo fato de que se houvesse dois deuses, um deles seria inferior ao outro; e Deus não pode ser inferior a nada; Ele é absoluto.

A Trindade é Una. Não professamos três deuses, mas um só Deus em três pessoas: “a Trindade consubstancial”, ensinou o II Concílio de Constantinopla em 431 (DS 421). As pessoas divinas não dividem entre si a única divindade, mas cada uma delas é Deus por inteiro: “O Pai é aquilo que é o Filho, o Filho é aquilo que é o Pai, o Espírito Santo é aquilo que são o Pai e o Filho, isto é, um só Deus por natureza” (XI Concílio de Toledo, em 675, DS 530).

“Por causa desta unidade, o Pai está todo inteiro no Filho, todo inteiro no Espírito Santo; o Filho está todo inteiro no Pai, todo inteiro no Espírito Santo; o Espírito Santo, todo inteiro no Pai, todo inteiro no Filho” (Conc. Florença, em 1442, DS 1331).

Esta VERDADE DE FÉ nos diferencia de muitas religiões/seitas (ex. Testemunhas de Jeová)

O dogma da Trindade se definiu em duas etapas, no primeiro Concílio de Nicéia (325 d.C.) e no primeiro Concílio de Constantinopla (381 d.C.). No Concílio de Nicéia foi definida a divindade do Filho e se escreveu a parte do Credo que se ocupa Dele. Este Concílio foi convocado para fazer frente à heresia ariana, que afirmava que o Filho era um ser sobrenatural, mas não Deus. No Concílio de Constantinopla foi definida a divindade do Espírito Santo. Este Concílio combateu uma heresia conhecida como macedonianismo (porque seus defensores eram da Macedônia), que negava a divindade do Espírito Santo.

Ora, Deus é um Mistério para todos nós, porque a Sua grandeza infinita não cabe na nossa inteligência limitada de criatura. Se entendesse Deus, este não seria o verdadeiro Deus. O Criador não pode ser plenamente entendido pela criatura; isto é lógico, é normal e é correto. Depois de tentar de muitos modos desvendar o Mistério da Santíssima Trindade, Santo Agostinho (+430) abdicou: ‘Deus não é para se compreendido, mas para ser adorado!”

Leia mais:

Santo Agostinho e o Mistério da Santíssima Trindade

Conta-se que certa vez, andando pela areia da praia, Santo Agostinho submergia em pensamentos profundos e altíssimos que se elevavam ao céu. Entre seus raciocínios, pensava ele no mistério da Santíssima Trindade. “Como é que pode haver três Pessoas distintas – Pai, Filho e Espírito Santo – em um mesmo e único Deus?”

Ele avistou, de repente, um menino com um baldinho, que ia até a água do mar, enchia o seu pequeno balde e voltava, despejando a água em um buraco na areia. Santo Agostinho, observando atentamente o menino, lhe perguntou:

– O que estás fazendo?

O menino, com grande simplicidade, olhou para Santo Agostinho e respondeu:

– Coloco neste buraco toda a água do mar!

Diante da inocência do menino, o santo lhe sorriu e disse:

– Isto é impossível, menino. Como podes querer colocar toda essa imensidão de água do mar neste pequeno buraco?

O anjo de Deus o olhou então profundamente e lhe disse com voz forte:

– Em verdade, te digo: é mais fácil colocar toda a água do oceano neste pequeno buraco na areia do que a inteligência humana compreender os mistérios de Deus!

COMO PODEMOS VIVER O MISTÉRIO DA SANTÍSSIMA TRINDADE?  (Papa Francisco na Festa de Santíssima Trindade em 2015)

–  Evangelizar as pessoas e batizá-las “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. porque cada um de nós, pela força do Batismo, fazemos parte de sua Comunidade, da família de Cristo que é a Santíssima Trindade

– Viver a comunhão com Deus e entre nós sobre o modelo da trindade.

– Viver uns com os outros, pelos outros, isto significa acolher e testemunhar de acordo à beleza do Evangelho; viver o amor recíproco e para todos, compartilhando alegrias e sofrimentos, aprendendo a pedir e conceder o perdão, valorizando os diversos carismas sob a guia dos pastores.

– Em resumo, Cristo “nos confiou a tarefa de edificar comunidades eclesiásticas que sejam sempre mais família, capazes de refletir o esplendor da Trindade e de evangelizar não só com as palavras, mas com a força do amor de Deus que habita em nós”.

– O Santo Padre destacou que “o caminho da vida cristã é, com efeito, um caminho essencialmente ‘trinitário’” em que “o Espírito Santo nos guia à plena consciência dos ensinamentos de Cristo, de seu Evangelho; e Jesus, à sua vez, veio ao mundo para nos dar a conhecer o Pai, para nos guiar a Ele, para nos reconciliar com Ele”.

– O Papa explicou que “este mistério abraça toda nossa vida e todo nosso ser cristão e nos recordamos isso cada vez que fazemos o sinal da cruz: ‘no nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo’.

QUE A VIRGEM MARIA NOS ENSINE A ACOLHER E VIVER A INTIMIDADE DA SANTÍSSIMA TRINDADE COMO ELA MESMA VIVEU!

______________________________________________

R E S P O N D A:

  • O que é o Mistério da Santíssima Trindade?
  • Como podemos viver o Mistério da Santíssima Trindade?

______________________________________________

 

Fontes: Youcat / www.cleofas.com.br / Bíblia Pastoral

Como surgiu a Festa de CORPUS CHRISTI?

Previous article

Fé e Oração: Respostas do Homem a Deus

Next article

You may also like

More in Catecumenato

Comments

Comments are closed.