CatecumenatoQuerigma

Parábola “O Semeador”

0
Compartilhe nossos posts em suas redes

 

Parábola “O Semeador” (Mc 4, 1-9.14-20)

  • Jesus usava as parábolas para que as pessoas entendessem Sua Missão e a vontade do Pai.

1 Jesus começou a ensinar de novo às margens do mar da Galiléia. Uma multidão se reuniu em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se. A barca estava no mar, enquanto a multidão estava junto ao mar, na praia. 2 Jesus ensinava-lhes muitas coisas com parábolas. No seu ensinamento dizia para eles:

3 «Escutem. Um homem saiu para semear. 4 Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; os passarinhos foram e comeram tudo. 5 Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; brotou logo, porque a terra não era profunda. 6 Porém, quando saiu o sol, os brotos se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. 7 Outra parte caiu no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram, a sufocaram, e ela não deu fruto. 8 Outra parte caiu em terra boa e deu fruto, brotando e crescendo: rendeu trinta, sessenta e até cem por um.» 9 E Jesus dizia: «Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!»

14 O semeador semeia a Palavra. 15 Os que estão à beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a ouvem, chega Satanás e tira a Palavra que foi semeada neles. 16 Do mesmo modo, os que recebem a semente em terreno pedregoso, são aqueles que ouvem a Palavra e a recebem com alegria; 17 mas eles não têm raiz em si mesmos: são inconstantes, e, quando chega uma tribulação ou perseguição por causa da Palavra, eles logo desistem. 18 Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra; 19 mas surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, que sufocam a Palavra, e ela fica sem dar fruto. 20 Por fim, aqueles que receberam a semente em terreno bom, são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um dá trinta, outro sessenta e outro cem por um.»

 

“14 O semeador semeia a Palavra.”

  • A Palavra de Deus é como uma semente que frutificará em nós ou não.
    • Como se reconhece um verdadeiro Cristão? Pelas suas atitudes, pelos seus frutos.
  • Esses são os frutos: nossas atitudes com o próximo, nosso relacionamento com Deus.

 

“15 Os que estão à beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a ouvem, chega Satanás e tira a Palavra que foi semeada neles.”

  • O inimigo de Deus está a espreita para roubar tudo o que de bom é semeado no coração dos filhos de Deus.
  • Quantas vezes ao nos prepararmos para ir a Missa, ou para rezar o Terço, ler a Palavra, surgem a preguiça, distrações, visitas inesperadas, brigas sem sentido? Muitas dessas vezes é ação do inimigo querendo roubar a Palavra, a boa semente, que tem sido semeada em nós.

 

“16 Do mesmo modo, os que recebem a semente em terreno pedregoso, são aqueles que ouvem a Palavra e a recebem com alegria; 17 mas eles não têm raiz em si mesmos: são inconstantes, e, quando chega uma tribulação ou perseguição por causa da Palavra, eles logo desistem.”

  • Como Jesus diz “inconstância na tribulação”. Infelizmente muitas pessoas, nos momentos de tribulação, dificuldades financeiras, doenças, decepções, se perdem no vício, nos desejos desenfreados, para “afogar suas mágoas”. Se afastam de Deus, ao invés de assumir sua cruz, como Cristo, e buscar forças na presença de Deus, nos Sacramentos, na Palavra, na Oração.
  • O “terreno pedregoso” refere-se às almas que pensam ser possível seguir um Cristo sem Cruz; são almas que desejam Jesus, mas não desejam renunciar a si mesmas e ao egoísmo que só a dor e o sofrimento podem extinguir. Pois a dinâmica do verdadeiro amor exige que cresçamos na caridade ao mesmo tempo em que diminuímos no orgulho.

 

“18 Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra; 19 mas surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, que sufocam a Palavra, e ela fica sem dar fruto.”

  • Quais são os espinhos da nossa alma que tem sufocado a Palavra de Deus? Quais são as vontades e desejos que nos afastam da presença de Deus? O que coloco em primeiro lugar na minha vida, ao invés de Deus?
  • Esses são os espinhos a que Jesus se refere: empenhar-se com toda energia para ter bens materiais, viajar, comer, vestir-se da melhor forma, mas não empenhar-se em nada para viver a vontade de Deus, os Sacramentos, a Oração, ser caridoso com o próximo.
  • O “terreno espinhoso” representa os que querem ser cristãos e mundanos, querem pertencer a Deus e também ao príncipe deste mundo; trata-se de almas que, sob a aparência de um cristianismo piedoso e fiel às “obrigações” de domingo, rejeitam a radicalidade de vida do Evangelho: querem conciliar terços e pecados, missas e festanças, orações e vulgaridades.

 

“20 Por fim, aqueles que receberam a semente em terreno bom, são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um trinta, outro sessenta e outro cem por um.”

  • Os bons frutos são: o amor, o serviço ao próximo, um relacionamento íntimo com Deus, para que nas adversidades e nas alegrias, nada nos separe de Deus, para que iniciemos aqui neste mundo o Reino de Deus que virá.

 

  • Vimos que tudo depende o terreno.

Como está a terra do nosso coração para receber a semente da Palavra de Deus?

A terra para ser boa precisa de adubo, água, luz, minhocas.

Do que precisamos para que a Palavra de Deus se enraíze em nós e dê frutos?

  • SACRAMENTOS
  • ORAÇÃO
  • LEITURA DA PALAVRA
  • E principalmente do ESPÍRITO SANTO, que é Deus, e nos instruirá no Seu Caminho, nos impulsionará a viver a Sua Vontade.

 

  • E lembre-se sempre deste ditado chinês: NÃO É A ERVA DANINHA QUE ESTRAGA A PLANTAÇÃO, MAS A PREGUIÇA DO AGRICULTOR.

_____________________________________

R E S P O N D A

  • Quem é o semeador na parábola?
  • O que é a semente?
  • O que podemos fazer para transformar o terreno do nosso coração em terra fértil para receber a Palavra e frutificar?

_____________________________________

Novena e Ladainha ao Sagrado Coração de Jesus

Previous article

CARTA ENCÍCLICA AD CAELI REGINAM – A REALEZA DE MARIA  E A INSTITUIÇÃO DA SUA FESTA

Next article

You may also like

More in Catecumenato

Comments

Comments are closed.